Monthly Archives: janeiro 2019

APROVADOS ESTAGIO

O Conselho Regional de Farmácia do Acre – CRF/AC, torna público a relação de classificados no Processo Seletivo para estagiários, realizado pelo CIEE, e convoca os cinco primeiro colocados a se apresentarem na sede do CRF, nesta quinta-feira, dia 24, às 15 horas. Informamos ainda, que duas questões da prova aplicada no último dia 18 foram anuladas, a 02 e a 21.

PROCESSO SELETIVO – CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA NOME CANDIDATO(A)
1 MARIA CLARICE SILVA MAIA
2 KARINI FERNANDES DE CRISTO
3 JHONATAN RAMOS SOARES
4 MATHEUS MAIA COCCO
5 BRENDA MENDES LOPES
6 ALINE ALVES DE SOUZA
7 JOÃO LUCAS ARAUJO DE SOUZA
8 FERNANDA BARRETO OLIVEIRA
9 INGRID DA SILVA MONTEIRO
10 ELIANE DOS SANTOS FERREIRA
11 LOHANNY SENA DA SILVA
12 ANA BEATRIZ DE SOUZA MARQUES
13 FELIPE DA SILVA E SILVA
14 JOAO RICARDO MELO MOREIRA
15 EMILE BARBOSA CARVALHO
16 ALIDIANE PEREIRA MARTINS
17 ANA CLARA DE SOUZA MAIA
18 LIDIANE MACIEL DA SILVA
19 ANDRESSA DE SOUZA LIMA
20 KELLY MONTEIRO BRAGA DE CARVALHO
21 MARTA JUSSARA GALVÃO DE OLIVEIRA
22 ALESSANDRA HENRIQUE DA SILVA
23 SILMARA BARROS DA MOTA
24 THAYSLA FIGUEIREDO BARROS

Farmacêutico em Destaque

 

FARMACÊUTICO EM DESTAQUE

Temos 464 farmacêuticos atuando no Acre em várias áreas. Temos colegas atendendo em farmácias, unidades de saúde, hospitais, no ensino, na pesquisa.
O Conselho Regional de Farmácia reconhece e aplaude cada uma dessas atuações e vai passar a contar essas histórias na série Farmacêutico em Destaque nos nossos espaços de mídia, como o site, face book e Instagram.
Nossa primeira personagem é uma farmacêutica, que atua na região do Alto Acre, na fronteira com a Bolívia e que, graças a um projeto seu aprovado pelo Ministério da Saúde, oferece nova possibilidade de tratamento aos pacientes do SUS. Ela inseriu os medicamentos fitoterápicos na listagem oficial de medicamentos da prefeitura de Brasiléia. Trata -se da farmacêutica Tacília Matos.
E nós queremos contar as histórias relevantes de nossa categoria, como forma de divulgação do seu trabalho e de reconhecimentos por seus esforços. Vamos tratar de casos de inovação, de empreendedorismo e vários outros.
Se você acha que tem uma boa história, podemos conta-la. Acesse nossas redes e sugira. O Conselho Regional de Farmácia vai contar sua história por meio desse quadro Farmacêutico em Destaque!!!

NA FRONTEIRA DO ACRE COM A BOLIVIA FARMACÊUTICA INSERIU OS FITOTERÁPICOS NA LISTA DO SUS

Graças a uma farmacêutica, Brasiléia, localizada a 240 km de Rio Branco, e que fica na fronteira da Bolívia, tem uma grande novidade na área da saúde. Além dos medicamentos alopáticos, os pacientes do Sistema Único de Saúde – SUS, também têm acesso aos medicamentos fitoterápico nas unidades de saúde do Município.
Essa nova possibilidade de tratamento foi garantida pela farmacêutica Tacilia Feraz de Matos, que é coordenadora da Assistência Farmacêutica de Brasiléia. Ela conseguiu aprovar o projeto dos fitoterápicos junto ao Ministério da Saúde e os medicamentos à base de plantas, fazem parte da Relação Municipal de Medicamentos Essenciais – REMUME.
Ela explica que os fitoterápicos são dispensados junto com os alopáticos nas unidades de saúde. Entre os medicamentos à base de plantas estão a Isoflavona de Soja, Passiflora Incarnata e a Mikania Glomerata ( xarope de guaco ). “Nas farmácias particulares os homeopáticos já são realidade, mas pelo SUS é uma inovação. Nós estamos garantindo aqui essa alternativa de tratamento que faz muito sucesso e que tem apoio dos médicos, que receitam os fitoterápicos. Alguns substituem em até 90 por cento os alopáticos pra mesma indicação, como por exemplo, o ambroxol que é substituído pelo xarope de guaco”.
Tacilia explica que a Amazônia tem um grande potencial a ser explorado no sentido de garantir mais medicamentos fitoterápicos para os pacientes do SUS.
Tacília Ferraz de Matos, é natural de Santa Rosa do Sul em Santa Catarina e graduada em Farmácia pela Universidade do Extremo Sul Catarinense de Criciúma. Chegou ao Acre em 2012 e atualmente é Farmacêutica Técnica da Farmácia Municipal de Brasiléia e Coordenadora da Assistência Farmacêutica Municipal. Tacilia também é representante do Conselho Regional de Farmácia do Acre – CRF-AC.
Os medicamentos fitoterápicos são definidos pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) como aqueles que são obtidos a partir de derivados vegetais e que os riscos, os mecanismos de ação e onde agem no nosso corpo são conhecidos. Os medicamentos fitoterápicos possuem seus benefícios comprovados pela Organização Mundial de Saúde e, como qualquer medicamento, só devem ser usados com recomendação médica.

 

DIVULGAÇÃO VAGA ESTÁGIO NÍVEL SUPERIOR

DIVULGAÇÃO VAGA ESTÁGIO NÍVEL SUPERIOR

FARMÁCIA

NÍVEL SUPERIOR EM FARMÁCIA

Requisitos específicos para estagiário de Nível Superior:

Estar regularmente matriculado a partir do 2º período
Estar freqüentando efetivamente o curso;
Ter disponibilidade para estagiar em regime de 30 (vinte) horas semanais;
Que não esteja cursando o último período.
Ter acima de 16 anos de idade.
As inscrições poderão ser realizadas gratuitamente nos dia 09 à 16 de Janeiro de 2019, entregando a documentação abaixo discriminada, no CENTRO DE INTEGRAÇÃO EMPRESA ESCOLA- CIEE, sito a Avenida Getúlio Vargas, 3.640 – Lado A, Bairro: Procon (Ponto de Referência: Ao lado da Malharia Ponto Sem Nó). Será aplicada uma prova elaborada pelo Conselho Regional de Farmácia do Acre no dia 18 de janeiro de 2019 às 10h, e também na unidade CIEE. Os estudantes devem estar atentos a data de aplicação

Curriculum Vitae atualizado;
Cópia RG e CPF;
Declaração de Matrícula da Universidade;
Histórico Acadêmico do 1.º Semestre de 2018;
Cópia Comprovante de Endereço
Maiores Informações: 3214-3200

CRF ALERTA PARA OS RISCOS DA AUTOMEDICAÇÃO EM DOENÇAS TRANSMITIDAS PELO AEDES

O aumento nos casos de dengue em Rio Branco preocupa a gestão do Conselho Regional de Farmácia do Acre – CRF /AC. A direção do Conselho orienta para que todos os farmacêuticos, redobrem os cuidados no atendimento à população e orientem as pessoas sobre o risco da automedicação e que busquem os serviços de saúde para tratar a doença da forma mais adequada.
Como o farmacêutico é um profissional da saúde bastante acessível para a população, nas farmácias, é comum, que logos nos primeiros sintomas da dengue, febre, dores de cabeça e dores pelo corpo, as pessoas busquem por este profissional na tentativa de conseguir se livras dos sintomas da doença. É nesta hora, segundo o presidente do CRF, João Vitor Italiano Braz, “que os farmacêuticos, com seus conhecimentos, devem orientar sobre a prevenção e cuidados, dando ênfase no combate à automedicação”.
O presidente do Grupo de Trabalho Comunitário – GT, do Conselho Regional de Farmácia – CRF, Joselito Cordeiro dos Santos, que atua em farmácia, cita que a função dos farmacêuticos, nesses caso, é de orientação da população e encaminhamento para serviços de saúde. “Nós temos que levar em conta a sazonalidade das patologias com relação ao rastreio dos sintomas e encaminhar as pessoas para os serviços de saúde, para confirmação e o tratamento adequado”.
Um dos grandes problemas, segundo Joselito, é a semelhança dos sintomas da dengue, com os da gripe, o que leva muitas pessoas a tomarem por exemplo, o ácido acetilsalicílico, ou AAS. “Os antigripais contém o ácido acetil, que no caso de dengue hemorrágica, por exemplo, pode agravar ainda mais a situação, já que podem ocasionar sangramentos e uma maior acidez no sangue, o quer pode levar à morte”.
Outros medicamentos contraindicados são os anti-inflamatórios hormonais e não hormonais, tais como o ibuprofeno, nimesulida ou diclofenaco.

FARMACÊUTICO EDUCADOR

A farmácia é um estabelecimento dos mais democráticos, por onde circulam todos os tipos de pessoas e de todas as classes, por isso, o Conselho Regional de Farmácia, alerta a categoria para o papel educador do farmacêutico. “Temos que atuar no sentido de multiplicar as informações relacionadas à prevenção, sintomas, uso de medicamentos e orientar sobre a importância da procura pelos serviços de saúde”, cita João Vitor, presidente do CRF.
João Vitor ressalta que a cultura da automedicação, que deve ser evitada em todas as situações, e que, no caso de suspeitas de doenças relacionadas ao Aedes, o caso é ainda mais grave. Produtos com princípios ativos naturalmente anticoagulantes aumentam as chances de hemorragias e podem agravar os casos de dengue, zika e chikungunya.

SINTOMAS
Os principais sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti são:
Dengue: febre alta súbita, dor de cabeça e dor no corpo e articulações, náuseas e vômitos, também podem haver manchas vermelhas no corpo e coceira.
Zika: febre não muito alta, dor de cabeça, dor nas articulações, manchas vermelhas no corpo com coceira, vermelhidão nos olhos e cansaço, em algumas pessoas pode não ter nenhum sintoma.
Chikungunya: doença que ocorre junto com a dengue e cujos sintomas se confundem: febre alta súbita, dor de cabeça constante, manchas vermelhas no corpo com coceira intensa e dor forte nas articulações com inchaço.
“ A melhor forma de prevenir a dengue, zika e chikungunya é acabar com o mosquito, não deixando nenhum recipiente acumular água. Uma tampa de garrafa com água é o suficiente para o mosquito se reproduzir. Então vamos evitar essas situações e garantir a boa saúde de todos”, conclui João Vitor.

CRF no combate ao Aedes

O presidente do Conselho Regional de Farmácia do Acre, João Vitor Italiano Braz, concedeu entrevista na TV Gazeta, canal 11. Entre os temas abordados, a atuação do CRF no combate ao Aedes aegypti e os riscos da automedicação.

DECLARAÇÃO DE VÍNCULOS PROFISSIONAIS

DECLARAÇÃO DE VÍNCULOS PROFISSIONAIS

A Resolução CFF nº 596/2014 (Código de Ética) estabelece os direitos, deveres e obrigações do farmacêutico, norteando sua conduta profissional. 

Está habilitado ao exercício da profissão farmacêutica, em suas diversas áreas, o profissional devidamente inscrito no Conselho Regional de Farmácia – CRF de sua jurisdição, e deve aplicar na rotina de suas atividades, a observância ao Código de Ética.

Durante a fiscalização é observado se o farmacêutico que está no 

exercício da atividade, cumpre com a obrigatoriedade de comunicar seu vínculo

profissional de maneira formal (através de formulário específico) ao CRF, conforme disposto no art. 19 do Código de Ética. É imprescindível a declaração de todos os vínculos farmacêuticos, com dados completos da empresa ou instituição, horários de atividade, atribuições e funções que desempenha. Quando observado que ainda não há por parte do profissional a formalização do(s) seu(s) vínculo(s) profissional(ais) junto ao CRF/AC, o Farmacêutico Fiscal deve orientá-lo a proceder com a regularização devida.

A obrigatoriedade não se aplica somente para os que desempenham as

funções de responsabilidade e assistência técnica ou substituição, nas quais se obriga à declaração de vínculo mediante protocolo de assunção de responsabilidade; mas sim, para todos os farmacêuticos que desempenham, nas instituições em que atuam, atividades de âmbito farmacêutico, independentemente da natureza pública ou privada.

O não atendimento quanto à obrigatoriedade de declaração de vínculos profissionais, sujeita o profissional aorecebimento de sanções éticas disciplinares.

IMPORTANTE LEMBRAR: encerrando-se o vínculo profissional anteriormente declarado, o farmacêutico deve comunicar ao CRF/AC este

Encerramento no prazo máximo de 5 dias, independentemente de haver ou não retenção de documentos por parte do empregador.