Monthly Archives: agosto 2019

Conselho Regional de Farmácia do Acre participa do lançamento do Programa Medicamentos em Casa

A diretoria do Conselho Regional de Farmácia do Acre e o conselheiro federal Romeu Cordeiro, participaram do lançamento na manhã desta sexta-feira, na Policlínica Barral y Barral, feito pela prefeita Socorro Neri, do Programa Medicamentos em Casa.

O Programa , que é coordenado pelo Complexo Farmacêutico Municipal – COFAM, vai garantir a dispensação de medicamentos específicos, serviço de farmácia clínica e entrega de medicamentos em domicílio para mais de 7 mil pacientes acamados e sem locomoção que fazem uso de medicamentos ou material médico hospitalar de uso contínuo.

O presidente do CRF, João Vitor Italiano Braz, ressalta a importância da participação direita dos farmacêuticos no Programa. ” O serviço será realizado por farmacêuticos , que são os profissionais capacitados para orientar de forma adequada os pacientes”.

A entrega de medicamento em domicílio vai atender pacientes acamados/domiciliados, cadeirantes, portadores de doença de Parkinson, de osteoporose com mais de 65 anos, portadores de doença Renal Crônica e idosos com dificuldade de locomoção.

A conselheira regional Luana Esteves parabenizou prefeita Socorro Neri pela sensibilidade em garantir um programa que leva à casa das pessoas a possibilidade de cura das doenças. ” E ao secretário Oteniel Almeida, nosso agradecimento por ter incluído o profissional farmacêuticos no projeto desde sua concepção e será parte fundamental na execução”.

A valorização da categoria farmacêutica também foi destacada na fala do conselheiro federal Romeu Cordeiro no evento de lançamento. ” A importância do Programa é inquestionável e nossa categoria agradece pelo entendimento da gestão municipal, de contar com um farmacêutico em todas as etapas do Programa ‘.

Sexta-feira e sábado tem mais um módulo do Curso de Farmácia Hospitalar

O último módulo do Curso de Farmácia Hospitalar de agosto será ministrado nesta sexta-feira e sábado no Bloco E da UniNorte.

Na sexta-feira das 19:00h às 22:30h e no sábado das 08:30h ás 12:00h e das 14:00h às 18:00h.

O Curso, com seus módulos , é promovido pelo Conselho Regional de Farmácia do Acre em parceria com o Conselho Federal de Farmácia.

Os módulos são independentes, não sequenciais e, para emissão do certificado do curso, é necessária a frequência de 75% das aulas de cada módulo e do total do curso.

Atuação do farmacêutico no serviço de imunização

ASPECTOS LEGAIS

Em 2014 a Lei Federal nº 13.021, que dispõe sobre o exercício e a fiscalização das atividades farmacêuticas, autorizou a vacinação em farmácias.

Em dezembro de 2017, foi editada a Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) nº 197, que dispõe sobre os requisitos mínimos para o funcionamento dos serviços de vacinação humana. Essa norma se aplica a qualquer estabelecimento que realize ou pretenda realizar o serviço de vacinação, sejam eles públicos, privados, filantrópicos, civis ou militares e tem o objetivo de uniformizar a prestação do serviço, independentemente da natureza do estabelecimento.

Em 2018, o Conselho Federal de Farmácia – CFF, definiu regras para atuação do farmacêuticos neste ramo, através da Resolução N° 654 de 22 de fevereiro de 2018 (dispõe sobre os requisitos necessários à prestação do serviço de vacinação pelo farmacêutico e dá outras providências).

• FARMACÊUTICO FIQUE ATENTO AOS REQUISITOS MÍNIMOS PARA O FUNCIONAMENTO DE ESTABELECIMENTOS QUE OFERECE VACINAÇÃO:

  • Licenciamento e inscrição no serviço no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES);
  • Afixação do Calendário Nacional de Vacinação, com a indicação das vacinas disponibilizadas;
  • Responsável técnico;
  • Profissional legalmente habilitado para a atividade de vacinação;
  • Capacitação permanente dos profissionais;
  • Instalações físicas adequadas, com observação da RDC 50/2002 e mais alguns itens obrigatórios a exemplo do equipamento de refrigeração exclusivo para a guarda e conservação de vacinas, com termômetro de momento com máxima e mínima;
  • Procedimentos de transporte para preservar a qualidade e a integridade das vacinas;
  • Procedimentos para o encaminhamento e atendimento imediato às intercorrências;
  • Registro das informações no cartão de vacinação e no Sistema do Ministério da Saúde;
  • Registro das notificações de eventos adversos pós vacinação e de ocorrência de erros no Sistema da Anvisa;
  • Possibilidade de vacinação extramuros por serviços mediante licença;
  • Possibilidade de emissão do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).

• HABILITAÇÃO

Para atuar no serviço de vacinação, o farmacêutico deve ter realizado um curso de formação complementar ou pós-graduação com conteúdo que atenda aos requisitos previstos na Res. CFF nº 654/2018 ou possuir experiência de atuação na área de, no mínimo, 12 meses anteriores à publicação da resolução.

O farmacêutico está inserido em todo o processo de imunização, desde a pesquisa e desenvolvimento de novas vacinas, transporte e armazenamento destes imunobiológicos, qualificação dos fornecedores, calibração de equipamentos (câmara fria e termômetros), e agora com a nova conquista da classe, atenção ao paciente, aplicação da vacina, descarte de resíduos, e por fim acompanhamento pós-vacinal dos possíveis eventos adversos.

Sempre que houver dúvidas, utilize nossos canais de comunicação para orientação e esclarecimentos.

ATENDIMENTO
Segunda a sexta-feira das 7h00 às 17h00.
Contato telefônico: 32240945
E-mail:protocolo@crfac.org.br

O Conselho Federal de Farmácia está presente no Diálogo Setorial que a Anvisa promove hoje

O Conselho Federal de Farmácia está presente no Diálogo Setorial que a Anvisa promove hoje, 1/08, durante todo o dia, para o levantamento de informações, críticas e sugestões sobre a utilização de testes laboratoriais portáteis (TLPs) — do inglês point-of-care testing (POCT) — em serviços de saúde. O objetivo é o aprimoramento do marco regulatório de serviços farmacêuticos e de laboratórios clínicos, relacionadas à revisão da Resolução RDC 44/2009 (Capítulo VI – Dos Serviços Farmacêuticos) e da RDC 302/2005. O evento está sendo transmitido ao vivo. Para assistir, clique no link – https://bit.ly/2YdZXHM

Diálogo Setorial sobre melhoria da regulação sanitária sobre a utilização em serviços de saúde dos produtos Point-of-Care Testing

Horário: 8:30 às 18:00 h

Local: auditório da Anvisa (capacidade: 240 pessoas). Assunto: Uso de Point-of-Care Testing em serviços de saúde
PROGRAMAÇÃO DO EVENTO 08:30 – 08:45 h
Registro dos Participantes
CEVEC

08:45h – 09:00 h
Abertura do Evento
Guilherme Buss
(GGTES)
Leandro Pereira
(GGTPS)

09:00 – 09:40h
Apresentação sobre o registro de produtos point-of-care testing (RDC n. 36/2015)
Marcella Abreu
(GEVIT/GGTPS)

09:40 – 10:20h
Contexto sanitário I: utilização do point-of-care testing em laboratórios clínicos (RDC n. 302/2005)
André Rezende
(GRECS/GGTES)

10:20 – 11:00h
Contexto sanitário II: utilização do point-of-care testing em farmácias (RDC n. 44/2009)
Tatiana Jubé
(GRECS/GGTES)

11:00 – 11:40h
“Uso dos dispositivos Point-of-Care testing na resposta ao HIV/aids, sífilis e hepatites virais (usos e controles)”
José Boullosa Alonso Neto
Ministério da Saúde

11:40 – 13:30
Intervalo para almoço
13:30 – 14:00h
Uso dos dispositivos Point-of-Care testing – fabricantes de produtos point-of-care testing
Carlos Eduardo Gouvêa
Presidente Executivo da CBDL

14:00 – 14:30 h
Uso dos dispositivos Point-of-Care testing – laboratórios clínicos
Luiz Fernando Barcelos
Representante do setor de laboratórios clínicos

14:30 – 15:00
Uso dos dispositivos POCT – farmácias
Cassyano Correr
Representante do setor de farmácias

15:00 – 17:30 -Discussão
17:30 – 18:00h – ENCERRAMENTO