Monthly Archives: junho 2020

Farmacêutico empresário compromissado com a Saúde Pública

O compromisso com a saúde pública faz parte da vida profissional deste empresário e por esse motivo respeita e apóia os profissionais da saúde que se expõe para cuidar de toda a população.
Sempre preocupado com a segurança desses profissionais e de seus pacientes, o empresário distribuiu, através do seu empreendimento, Álcool Gel 70% em alguns hospitais da rede pública e instituições de caridade, contribuindo no combate à propagação do COVID-19 e acredita que juntos poderemos superar esta crise.

 

Miguel Anderson Bezerra de Oliveira Freitas, nascido no dia 09/08/1983 em Natal/RN, filho de um Potiguar e Professor: Ricardo Frederico de Oliveira Freitas, e uma Acreana e Bancária: Maria Gabriela Esteves Bezerra, Farmacêutico há 13 anos, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Pós Graduado em Gestão Empresarial pela FGV com diversos cursos e experiência na área Magistral, Hospitalar, Oncológica e Gestão Empresarial.
Chegou ao Acre em 2008 com o intuito de gerir uma Farmácia de Manipulação, pois em Natal/RN seu irmão mais velho já possuía uma, desde a época da Universidade, na qual estagiou e trabalhou também depois de formado. Devido a experiência decidiu adquirir, em conjunto com o sócio e primo, Itamar Zanin Junior, uma Farmácia que já existia na cidade e desde o dia 01 de setembro de 2008 iniciaram uma nova gestão. Os primeiros anos foram bem difíceis, mas persistindo e trabalhando arduamente obteve muitos aprendizados com as dificuldades financeiras, de pessoal e de gestão.
Hoje, após passar pelos aprendizados e saber encarar que nunca será fácil, o Dr. Miguel está criando uma trajetória pautada no compromisso com os colaboradores, clientes, amigos e a sociedade, sempre com amor e respeito.
“E um conselho que gostaria de dar aos colegas e futuros farmacêuticos é que estudem muito todas as nossas áreas, se especializem e entendam a importância da nossa profissão, entendam o que significa assistência e atenção farmacêutica e exijam o uso racional dos medicamentos, só assim seremos mais valorizados. E assim como consegui, qualquer um pode chegar lá, basta o querer sempre agindo com respeito ao próximo, ética e responsabilidade.” (Dr. Miguel Anderson Bezerra de Oliveira Freitas)

Campanha Sinal Vermelho contra a violência doméstica

O Conselho Regional de Farmácia apresenta a campanha lançada nacionalmente  para incentivar denúncia de violência doméstica.
A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) uniram forças para lançar, a campanha Sinal Vermelho contra a violência doméstica.
O objetivo é incentivar denúncias por meio de um símbolo: ao desenhar um “X” na mão e exibi-lo ao farmacêutico ou ao atendente da farmácia, a vítima poderá receber auxílio e acionar as autoridades.  Assim a adesão à campanha é de suma importância.
Instagram (@campanhasinalvermelho).

O Conselho Regional de Farmácia do Estado do Acre (CRF/AC) que congrega 562 farmacêuticos no Estado do Acre , é um dos apoiadores oficiais da campanha. A adesão das farmácias e dos farmacêuticos é voluntária.

” Com o isolamento, os casos de violência doméstica aumentaram e é de extrema importância que a mulher se sinta acolhida e segura, para isso, os farmacêuticos, como profissionais de saúde estarão preparados para acolher e direcionar a vítima de violência, cientes de que suas identidades serão mantidas em total sigilo, resguardando-os” pontua Dra. Luana Esteves, vice-presidente do CRF/AC.

Inicialmente, a ação conta com a participação de quase 10 mil farmácias em todo o país, podendo chegar a quase 90 mil. É uma resposta conjunta de membros do Judiciário ao recente aumento nos registros de violência em meio à pandemia do novo coronavírus.  Ainda de acordo com a presidente da AMB, campanhas que facilitem esse tipo de denúncia podem auxiliar pessoas que sofrem. Após a denúncia, os profissionais das farmácias seguem um protocolo para comunicar a polícia e ao acolhimento à vítima.
Importante: Balconistas e farmacêuticos não serão conduzidos à delegacia e nem, necessariamente, chamados a testemunhar.

Como participar :
Para participar da campanha, basta que os responsáveis pela farmácia encaminhem o termo de adesão (acesse o modelo aqui – www.amb.com.br) assinado digitalmente em formato de foto para o e-mail sinalvermelho@amb.com.br.
A imagem do termo de adesão devidamente assinado também pode ser enviada por meio de mensagem de Whatsapp para +55 (61) 98165-4974.

Mais informações estão disponíveis em uma cartilha disponível nesse link – https://bit.ly/3fezgXL.

Dados:
Em março e abril, o índice de feminicídios cresceu 22,2%, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
Já as chamadas para o número 180 tiveram aumento de 34% em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo balanço do governo federal.
Para difundir a campanha, os organizadores contam também com o apoio da Abrafarma, Abrafad, Instituto Mary Kay, Grupo Mulheres do Brasil, Mulheres do Varejo, Conselho Nacional dos Chefes da Polícia Civil, Conselho Nacional dos Comandantes Gerais, Colégio das Coordenadorias Estaduais da Mulher em Situação de Violência Doméstica, Fonavid, Ministério Público do Trabalho, Colégio Nacional dos Defensores Públicos Gerais, Conselho Nacional do Ministério Público, Colégio Nacional dos Defensores Públicos Gerais, Promulher do Ministério da Justiça e Segurança Pública. #sinalvermelhoInicialmente, a ação conta com a participação de quase 10 mil farmácias em todo o país, podendo chegar a quase 90 mil. É uma resposta conjunta de membros do Judiciário ao recente aumento nos registros de violência em meio à pandemia do novo coronavírus.
Ainda de acordo com a presidente da AMB, campanhas que facilitem esse tipo de denúncia podem auxiliar pessoas que sofrem.
Após a denúncia, os profissionais das farmácias seguem um protocolo para comunicar a polícia e ao acolhimento à vítima.
Importante: Balconistas e farmacêuticos não serão conduzidos à delegacia e nem, necessariamente, chamados a testemunhar.

Baixe aqui a RDC 80/2006 que trata sobre o Fracionamento de Medicamentos

Quais os principais passos para realizar o fracionamento e a dispensação de medicamentos fracionados, conforme previsto na RDC nº 80/2006?

  • Avaliação da prescrição pelo farmacêutico
  • Subdivisão da embalagem do medicamento em frações menores, realizada na área de fracionamento identificada e visível ao usuário, a partir de sua embalagem original para fracionáveis;
  • Acondicionamento das unidades fracionadas na embalagem da própria farmácia, contendo uma bula do medicamento correspondente;
  • Retorno das unidades remanescentes à embalagem original para fracionáveis, quando for o caso;
  • Rotulagem da embalagem destinada à dispensação direta ao usuário, contendo as informações exigidas pela RDC nº 80/2006;
  • Registro das operações com a dispensação de medicamentos na forma fracionada;
  • Restituição da receita ao usuário, devidamente carimbada em cada item dispensado e assinada pelo farmacêutico

Para baixar o arquivo completo, clique no link:

Medicamentos Fracionados – Guia para Farmacêuticos

CRF firma compromisso de atuar no combate à violência domésticacontra as mulheres.

O Conselho Regional de Farmácia em parceria da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, Ministério Público MPE- Acre, Conselho Estadual de Segurança firma compromisso de atuar no combate à violência contra as mulheres.

O tema, projeto trazido pelo diretor do CRF, Dr. Robson Fugihara, aprovado em plenária, foi tratado na tarde de terça-feira, 02, pela presidente da Comissão da Mulher Advogada, Dra Isnailda Gondin, empresários do segmento farmacêutico, Ministério Público, Promotoria de Justiça dentre outros órgão de segurança.

O CRF/AC que já faz esse trabalho de valorização da mulher, em todo contexto social e profissional, vai disseminar a campanha nos estabelecimentos como farmácias, com o propósito de sensibilizar empresas e seus colaboradores nesse período de pandemia com aliados no combate a violência domiciliar que aumentou significativamente, Diretor do CRF, Robson Fugihara, também é membro do comitê de combate a violência domiciliar no Mercosul, um projeto internacional que contempla os países vizinhos.

Essa difusão será feita em farmácias de todo Estado do Acre, começando pela capital e avançando conforme as estratégias do projeto.

O diretor do CRF, Robson Fugihara destaca que o CRF terá papel fundamental na campanha de combate à violência contra a mulher por aglutinar profissionais que mantêm contato diário com um grande público: “Nós do CRF defendemos todos os direitos reservados à mulher, tanto que quando trouxemos a discussão ao pleno, tivemos a unanimidade da expressão de apoio ao projeto. Para nós sempre existiu a preocupação de proporcionar à mulher todo um contexto de segurança e apoio nos desafios cotidianos das mais diversas áreas, estamos honrados em fazer parte desse grande projeto de sensibilização e atuação dos direitos da mulher”.