+55 68 3224-0945 protocolo@crfac.org.br

Menu
Campanha Sinal Vermelho contra a violência doméstica

Campanha Sinal Vermelho contra a violência doméstica

By In Notícias On 24/06/2020


O Conselho Regional de Farmácia apresenta a campanha lançada nacionalmente  para incentivar denúncia de violência doméstica.
A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) uniram forças para lançar, a campanha Sinal Vermelho contra a violência doméstica.
O objetivo é incentivar denúncias por meio de um símbolo: ao desenhar um “X” na mão e exibi-lo ao farmacêutico ou ao atendente da farmácia, a vítima poderá receber auxílio e acionar as autoridades.  Assim a adesão à campanha é de suma importância.
Instagram (@campanhasinalvermelho).

O Conselho Regional de Farmácia do Estado do Acre (CRF/AC) que congrega 562 farmacêuticos no Estado do Acre , é um dos apoiadores oficiais da campanha. A adesão das farmácias e dos farmacêuticos é voluntária.

” Com o isolamento, os casos de violência doméstica aumentaram e é de extrema importância que a mulher se sinta acolhida e segura, para isso, os farmacêuticos, como profissionais de saúde estarão preparados para acolher e direcionar a vítima de violência, cientes de que suas identidades serão mantidas em total sigilo, resguardando-os” pontua Dra. Luana Esteves, vice-presidente do CRF/AC.

Inicialmente, a ação conta com a participação de quase 10 mil farmácias em todo o país, podendo chegar a quase 90 mil. É uma resposta conjunta de membros do Judiciário ao recente aumento nos registros de violência em meio à pandemia do novo coronavírus.  Ainda de acordo com a presidente da AMB, campanhas que facilitem esse tipo de denúncia podem auxiliar pessoas que sofrem. Após a denúncia, os profissionais das farmácias seguem um protocolo para comunicar a polícia e ao acolhimento à vítima.
Importante: Balconistas e farmacêuticos não serão conduzidos à delegacia e nem, necessariamente, chamados a testemunhar.

Como participar :
Para participar da campanha, basta que os responsáveis pela farmácia encaminhem o termo de adesão (acesse o modelo aqui – www.amb.com.br) assinado digitalmente em formato de foto para o e-mail sinalvermelho@amb.com.br.
A imagem do termo de adesão devidamente assinado também pode ser enviada por meio de mensagem de Whatsapp para +55 (61) 98165-4974.

Mais informações estão disponíveis em uma cartilha disponível nesse link – https://bit.ly/3fezgXL.

Dados:
Em março e abril, o índice de feminicídios cresceu 22,2%, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
Já as chamadas para o número 180 tiveram aumento de 34% em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo balanço do governo federal.
Para difundir a campanha, os organizadores contam também com o apoio da Abrafarma, Abrafad, Instituto Mary Kay, Grupo Mulheres do Brasil, Mulheres do Varejo, Conselho Nacional dos Chefes da Polícia Civil, Conselho Nacional dos Comandantes Gerais, Colégio das Coordenadorias Estaduais da Mulher em Situação de Violência Doméstica, Fonavid, Ministério Público do Trabalho, Colégio Nacional dos Defensores Públicos Gerais, Conselho Nacional do Ministério Público, Colégio Nacional dos Defensores Públicos Gerais, Promulher do Ministério da Justiça e Segurança Pública. #sinalvermelhoInicialmente, a ação conta com a participação de quase 10 mil farmácias em todo o país, podendo chegar a quase 90 mil. É uma resposta conjunta de membros do Judiciário ao recente aumento nos registros de violência em meio à pandemia do novo coronavírus.
Ainda de acordo com a presidente da AMB, campanhas que facilitem esse tipo de denúncia podem auxiliar pessoas que sofrem.
Após a denúncia, os profissionais das farmácias seguem um protocolo para comunicar a polícia e ao acolhimento à vítima.
Importante: Balconistas e farmacêuticos não serão conduzidos à delegacia e nem, necessariamente, chamados a testemunhar.