CRF ALERTA PARA OS RISCOS DA AUTOMEDICAÇÃO EM DOENÇAS TRANSMITIDAS PELO AEDES

O aumento nos casos de dengue em Rio Branco preocupa a gestão do Conselho Regional de Farmácia do Acre – CRF /AC. A direção do Conselho orienta para que todos os farmacêuticos, redobrem os cuidados no atendimento à população e orientem as pessoas sobre o risco da automedicação e que busquem os serviços de saúde para tratar a doença da forma mais adequada.
Como o farmacêutico é um profissional da saúde bastante acessível para a população, nas farmácias, é comum, que logos nos primeiros sintomas da dengue, febre, dores de cabeça e dores pelo corpo, as pessoas busquem por este profissional na tentativa de conseguir se livras dos sintomas da doença. É nesta hora, segundo o presidente do CRF, João Vitor Italiano Braz, “que os farmacêuticos, com seus conhecimentos, devem orientar sobre a prevenção e cuidados, dando ênfase no combate à automedicação”.
O presidente do Grupo de Trabalho Comunitário – GT, do Conselho Regional de Farmácia – CRF, Joselito Cordeiro dos Santos, que atua em farmácia, cita que a função dos farmacêuticos, nesses caso, é de orientação da população e encaminhamento para serviços de saúde. “Nós temos que levar em conta a sazonalidade das patologias com relação ao rastreio dos sintomas e encaminhar as pessoas para os serviços de saúde, para confirmação e o tratamento adequado”.
Um dos grandes problemas, segundo Joselito, é a semelhança dos sintomas da dengue, com os da gripe, o que leva muitas pessoas a tomarem por exemplo, o ácido acetilsalicílico, ou AAS. “Os antigripais contém o ácido acetil, que no caso de dengue hemorrágica, por exemplo, pode agravar ainda mais a situação, já que podem ocasionar sangramentos e uma maior acidez no sangue, o quer pode levar à morte”.
Outros medicamentos contraindicados são os anti-inflamatórios hormonais e não hormonais, tais como o ibuprofeno, nimesulida ou diclofenaco.

FARMACÊUTICO EDUCADOR

A farmácia é um estabelecimento dos mais democráticos, por onde circulam todos os tipos de pessoas e de todas as classes, por isso, o Conselho Regional de Farmácia, alerta a categoria para o papel educador do farmacêutico. “Temos que atuar no sentido de multiplicar as informações relacionadas à prevenção, sintomas, uso de medicamentos e orientar sobre a importância da procura pelos serviços de saúde”, cita João Vitor, presidente do CRF.
João Vitor ressalta que a cultura da automedicação, que deve ser evitada em todas as situações, e que, no caso de suspeitas de doenças relacionadas ao Aedes, o caso é ainda mais grave. Produtos com princípios ativos naturalmente anticoagulantes aumentam as chances de hemorragias e podem agravar os casos de dengue, zika e chikungunya.

SINTOMAS
Os principais sintomas das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti são:
Dengue: febre alta súbita, dor de cabeça e dor no corpo e articulações, náuseas e vômitos, também podem haver manchas vermelhas no corpo e coceira.
Zika: febre não muito alta, dor de cabeça, dor nas articulações, manchas vermelhas no corpo com coceira, vermelhidão nos olhos e cansaço, em algumas pessoas pode não ter nenhum sintoma.
Chikungunya: doença que ocorre junto com a dengue e cujos sintomas se confundem: febre alta súbita, dor de cabeça constante, manchas vermelhas no corpo com coceira intensa e dor forte nas articulações com inchaço.
“ A melhor forma de prevenir a dengue, zika e chikungunya é acabar com o mosquito, não deixando nenhum recipiente acumular água. Uma tampa de garrafa com água é o suficiente para o mosquito se reproduzir. Então vamos evitar essas situações e garantir a boa saúde de todos”, conclui João Vitor.

CRF ALERTA PARA OS RISCOS DA AUTOMEDICAÇÃO EM DOENÇAS TRANSMITIDAS PELO AEDES

Deixe uma resposta

Fechar Menu