+55 68 3224-0945 protocolo@crfac.org.br

Menu
Inconformada com o mais do mesmo, farmacêutica do interior do Acre decidiu ser sua própria chefe

Inconformada com o mais do mesmo, farmacêutica do interior do Acre decidiu ser sua própria chefe

By In Farmacêutico em Destaque On 29/02/2020


Trabalhe o medo de errar
“Um dos maiores medos enfrentados pelo empreendedor é o medo de errar. Esse medo geralmente surge da insegurança em tomar algumas decisões importantes que envolvem riscos.” (Júlia Zullig)
“Se a pessoa nunca teve um negócio antes, toda a experiência é nova para ela. O risco sempre vai existir, mas podemos minimizá-lo. Buscar conhecimento ajuda a diminuir essa sensação de ter medo do novo”, diz Hashimoto.

Railas de Sousa Silva tem 25 anos é da cidade de Acrelândia, formada pela Unimeta no ano de 2016 pela segunda turma da faculdade, durante a faculdade conseguiu um estágio remunerado numa grande rede de farmácias que ajudou bastante a ser a profissional que é hoje, após terminar a faculdade ingressou em um drogaria na cidade de Acrelândia, nesta trabalhou um ano e meio como R.T, na verdade, praticamente fazia de tudo, desde compras até vendas no balcão e organização, após este um ano e meio decidiu sair, e resolveu montar a sua própria farmácia, mesmo não tendo muita noção do que iria enfrentar e nem quais as dificuldades passaria, sabia apenas que queria empreender, então colocou a mão na massa e foi atrás de um local pra alugar, contratou um contador, pegou um empréstimo no banco e juntou suas economias, contratou uma pessoa para ajudar na parte burocrática da vigilância, procurou prateleiras e balcões de farmácia para comprar, a farmacêutica ressalta: “Quando tinha alguma dúvida em questão de legislação ou coisas do tipo sempre recorria ao Dr. João Vitor ou Dr. Romeu Neto, sou imensamente grata a eles, me ajudaram muito durante o processo de abertura e sempre muito atenciosos e prontos a me ajudar”. Depois de 6 meses conseguiu colocar a Drogaria para funcionar, começou a trabalhar sem poder vender antimicrobianos e psicotrópicos até conseguir a AFE (Autorização de Funcionamento de Empresa), que logo saiu. Com ajuda do irmão, do esposo e dos pais montou as prateleiras que comprou de segunda mão, porém bem conservadas e organizou a estrutura física da farmácia. Quando a mercadoria chegou, estava tudo montado do jeitinho que ela idealizou.
“As pessoas, às vezes, pensam que por você ser empresário, ganha rios de dinheiro e que é fácil chegar até ali, mas não é fácil não, tem que se ter muita força de vontade, estar preparado para os obstáculos” destaca. Enfrentou denúncias na Vigilância logo quando abriu, mas como sempre procurou trabalhar certo, hoje está há quase 2 anos com a drogaria aberta e se diz tranquila, apesar de considerar que ainda tem muito o que melhorar, segue confiante no seu trabalho. “Fácil não é, mas o fundamental é não desistir dos seus sonhos.” (Dra. Railas de Sousa Silva)